sexta-feira, 29 de abril de 2016

Sua casa, sua empresa

Previsões sobre o futuro da economia e sobre como vai funcionar o mundo do trabalho vemos novas

a cada dia. Visões diferentes, baseadas em cálculos e percepções de origens diversas. Algumas mais otimistas, outras pelo contrário.

Indepentemente do cenário, algumas tendências se concretizam e tudo indica que vieram para ficar . Uma delas é a transformação de todo e qualquer profissional em gestor de sua carreira. Terceirizar o que se vai fazer da vida para a empresa que se trabalha é algo do passado. Hoje, todo e qualquer profissional, não importa a área ou o nível de escolaridade, precisa ser protagonista ou gestor de sua própria carreira.

O que podemos entender como gestor? Primeiramente saber para onde quer ir. Afinal de contas como dizia o coelho da história de Alice no País das Maravilhas: quando não se sabe para onde ir qualquer caminho serve. Não é bem assim, não é mais qualquer caminho que serve.

O melhor é que saber para onde ir não quer dizer que não podemos mudar de rumo no meio do caminho ou que efetivamente nós vamos chegar lá. Traçar o caminho é o segundo passo. As possibilidades são inúmeras, tanto para seguir sozinho quando para seguir acompanhado. Até uma dona de casa com pouca experiência em trabalhar fora podem iniciar sua gestão de carreira, mesmo que tardia.

“Monetizar” a casa


Atualmente é possível até fazer a própria casa render sem precisar se mudar dela.  Duvida? Vamos lá: até há poucos anos quem precisava alugar um quarto ou se hospedar durante uma viagem automaticamente procurava uma imobiliária ou um hotel. Sistemas como Air BnB mudaram esse mercado. Qualquer um que tenha organização mínima em sua casa pode dispor de aposentos por períodos curtos, médios ou longo para viajantes ou inquilinos e sem a necessidade de se preocupar com cobrança ou divulgação tradicional. Isso fica a cargo do sistema.

No mesmo esquema nasceram plataformas para pets como o Dog Hero em que em vez de gaiolas ou canis em hotéis tradicionais, os pets podem contar com o carinho e o aconchego de uma família de verdade. Em algumas casas pode até subir no sofá ou na cama ou contar com o cão do anfitrião para brincar durante a estadia. Com triagem de anfitriões feita pela plataforma e ainda um seguro veterinário de R$ 5 mil reais no caso de algum acidente ou problema de saúde.

Na garagem também é possível “monetizar” o patrimônio da família, com o Uber. Tenho vários amigos consultores ou profissionais liberais que ou nos fins de semana ou nas épocas de sazonalidade de suas empresas tiram seus carros da garagem para prestar um serviço bilíngue.

Se contabilizarmos uma hospedagem humana por dia a R$ 100 já descontadas as tarifas da plataforma; uma hospedagem canina a R$ 50 e duas corridas diárias pelo Uber a R$ 30 cada estamos falando de R$ 210 reais por dia. Em um mês de grande movimento teríamos R$ 6.300 bruto. É uma conta simples porque há despesas com manutenção e conservação, mas é apenas uma ordem de grandeza.

Sem dúvida que meses cheios como o acima descrito devem ser raros mas a cada dia aparecem mais possibilidades de levantar dinheiro extra em sair de casa. Empresas como a Natura, Boticário e mais recentemente Magazine Luiza sugerem que seus clientes tenham páginas personalizadas para que possam oferecer os produtos on line a amigos. A pessoa compra o cosmético ou eletrodoméstico diretamente da loja, apenas “usa” a página do amigo como meio de acesso.

A diferença é ser proativo


Engana-se quem acredita que esses meios trarão retorno se o cadastrado se mantiver passivo. Para ser bem “ranqueado” no Air BnB ou no Dog Hero é preciso ter excelência no atendimento dado aos hóspedes. Divulgar em suas redes sociais fazer campanhas com os amigos também são ações importantes para trazer mais clientes.

Os serviços do Uber são acompanhados e avaliados pela plataforma. Motorista que não cuida do carro, não atende bem o cliente e não dirige dentro da lei não tem futuro no aplicativo.

Quanto à páginas de divulgação de lojas, elas não trabalham sozinhas. Seus amigos só vão comprar se souberem do seu negócio e receberem periodicamente informações sobre as ofertas.  Para gerir bem essas atividades, requisitos como ferramentas de gestão de tempo e treinamento em marketing básico são fundamentais. A boa notícia é que tudo isso está disponível gratuitamente na internet. Vamos começar a driblar a crise?