sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Você sabe gerir seu tempo?


Eu não tenho tempo. Frase de nove entre dez habitantes deste planeta. A falta de tempo costuma ser erroneamente atribuída ao excesso de compromissos entre casa, família e trabalho. O que mais surpreende é que a origem dessa falta de tempo poucas vezes está realmente ligada ao excesso e atividades. Vai além disso.

Costuma ser reflexo do mau gerenciamento das emoções e, consequentemente a perda de capacidade de se tornar produtivo. Aqui vale ressaltar: falo produtivo e não ocupado. Essa afirmação costuma surpreender os que procuram o curso de gerenciamento de tempo que ministro juntamente com outra consultora. A visão do candidato a aluno muda com o aprofundamento no conteúdo. Mas como funciona essa relação parece tão distante?

Primeiramente levando em conta por que motivo diversas pessoas se envolvem com tarefas além das quais elas podem saudavelmente dar conta. É o caso dos workaholics. Envolver-se em tarefas demais pode significar ou não conseguir falar não para todas as demandas que aparecem ou querer fugir de si mesmo, e por isso entrar em uma roda pouco produtiva. Neste segundo caso, há aqueles que procuram voluntariamente se envolver em um grande número de atividades para atrair atenção ou pena. Desse tema já tratei com mais profundidade no artigo "Falsos super heróis profissionais" publicado por esta mesma coluna.

Voltando à questão do gerenciamento de tempo. No mercado temos visto autores e alguns empresários defendendo mais tempo livre. A proposta de se trabalhar menos é voltada para trabalhar melhor e não para ter mais horas para suportar mais tarefas. E a gestão do tempo é justamente focada nisso. Gerir melhor o seu tempo para ser mais produtivo. Trazer mais resultados em menos tempo e, consequentemente, mais dinheiro para viver melhor no seu – agora mais extenso - tempo livre. Milagre? Não. Planejamento, disciplina e vigilância, principalmente das emoções.

No coaching financeiro, uma das especialidades em que atuo, aplicamos uma linha de raciocínio que mostra a relação do tempo diretamente ligada ao sucesso financeiro e à compreensão das emoções. Para gerir bem seu dinheiro você precisa: usar bem seu tempo e conhecer suas emoções. Para gerir bem seu tempo você precisa de: propósito, ferramentas e, principalmente, conhecer e saber trabalhar suas emoções.

Armadilhas criadas por nós


Boa parte das armadilhas que nos transformam em pessoas sem tempo são criadas por nós mesmos. Vão desde o medo de magoar alguém, até o nosso receio de enfrentar situações que nos incomodam para chegar lá. "Ah, mas eu vou em tal lugar ou vou fazer isso para não ficar chato". Chato para quem? É melhor ser sincero e não ir ou não fazer do que fazer mal feito ou ir de cara feia? Quem vai ganhar com isso?

A outra questão do gerenciamento de tempo é o medo do caminho a ser trilhado para se chegar a um objetivo. Quantas vezes, de maneira inconsciente, nos perdemos em tarefas simples mas que consomem muito tempo porque não queremos enfrentar uma determinada situação. Depois que a oportunidade passa, fica fácil dar a desculpa que não tivemos tempo.

Mais do que usar boas ferramentas – que são necessárias e tem muito valor – gerenciar o tempo é, antes de tudo, conhecer e estar disposto a enfrentar a si mesmo. Vencida essa etapa, as ferramentas se tornam tão fáceis de usar quanto brinquedos de criança.